Assistência farmacêutica

Assistência Farmacêutica é o conjunto de ações voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde, tanto individual como coletivo, tendo o medicamento como insumo essencial e visando o acesso e ao seu uso racional.

Com o objetivo de obter os melhores resultados com o tratamento farmacoterapeutico, a Unimed Litoral disponibiliza este canal de comunicação com os seu clientes para que possam através do e-mail, se comunicar com o profissional farmacêutico qualificado.

Este importante serviço evita problemas relacionados a medicamentos e facilita a adesão do paciente ao tratamento de acordo com a prescrição que é sempre feita pelo seu médico assistente.

Informações

O cliente pode preencher o formulário e clicar em enviar. Todas as informações referentes a medicamentos, indicação, modo de uso, armazenamento, etc, podem ser solicitadas através deste canal de comunicação.

MEDICAMENTOS - O QUE VOCÊ DEVE SABER

O medicamento tomado de forma incorreta pode prejudicar a sua saúde e até levar à morte. Medicamento é bom quando necessário e com a orientação do médico e do farmacêutico

  • Tome o medicamento com água;
  • Não retire o medicamento da embalagem original;
  • Pergunte ao seu farmacêutico se o medicamento deve ser tomado junto, antes ou após as refeições, ou em jejum;
  • Evite bebida alcoólica se estiver usando medicamento;
  • Proteja os seus medicamentos da luz, da umidade e do calor.
  • Compre medicamento somente em farmácias e drogarias e exija a presença do farmacêutico.
  • Não compre medicamentos em feiras livres, camelôs ou academias;

Para obter os resultados esperados dos medicamentos é indispensável tomá-los no horário correto, na dose recomendada e cumprir o período de uso determinado pelo médico.

Quando se toma o antibiótico em tempo menor do que o receitado pelo médico, a bactéria a ser combatida pode tornar-se resistente. Assim, aumentam os riscos da bactéria se espalhar por todo o organismo sem que existam muitas alternativas de cura;

Há medicamentos que devem ser guardados em geladeira (medicamentos termo lábeis).

Nesse caso, devem ser guardados em caixa plástica fechada, na parte interna da geladeira (nunca na porta) para evitar alterações de temperatura.

O alívio da dor ou o desaparecimento dos sintomas ou sinais não significa a cura da doença.

A interrupção do tratamento antes do prazo informado na receita pode resultar em agravamento da doença.

Não reutilize frascos ou recipientes vazios de medicamentos para outros fins e nem use outros recipientes para guardar medicamentos.

Mantenha sempre os medicamentos fora do alcance de crianças e de animais.

Mantenha os medicamentos em locais protegidos de insetos e roedores e longe de alimentos, de produtos químicos e de produtos para limpeza.

Não abra as cápsulas, nem dissolva o conteúdo em água ou outro líquido;

Ser atendido por um farmacêutico é um direito seu. Na farmácia, exija o farmacêutico.

Solicite a orientação do Farmacêutico antes de usar qualquer medicamento, mesmo os que não precisam de receita médica;

Pergunte ao Farmacêutico como conservar os medicamentos de forma correta;

Não use medicamentos indicados por outras pessoas, como amigos, vizinho e parentes, mesmo que digam que tiveram os mesmos sintomas ou sinais que você.

Procure conhecer bem os medicamentos que você usa ou vai usar.

Quando for à farmácia consulte o farmacêutico, ele deve estar sempre identificado.

Cuidado! Doenças diferentes podem ter sintomas ou sinais parecidos ou até iguais, e você poderá usar um medicamento que poderá prejudicar ainda mais a sua saúde.

Relate ao Farmacêutico o aparecimento de qualquer problema ao utilizar um medicamento.

Não tome medicamento vencido

Fonte: Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo – Visite: www.crfsp.org.br

Para mais informações entre em contato com a equipe de farmacêuticos da Unimed Litoral: assistenciafarmaceutica@unimedlitoral.com.br |

Orientações farmacêuticas sobre antibióticos

O que são antibióticos?

Antibióticos são substâncias capazes de combater uma infecção causada por micro-organismos. Eles podem matar ou impedir a multiplicação de bactérias. Apesar de todo o benefício que os antibióticos podem trazer, seu uso indiscriminado vem fazendo com que as bactérias se tornem mais resistentes aos tratamentos, gerando um grave problema em todo o mundo.

 Informações importantes:

– Não use antibióticos por conta própria;

– Use a dose que for prescrita e nos horários corretos;

– Nunca pare o tratamento antes do prazo determinado mesmo que os sintomas tenham melhorado;

 – Não utilize antibióticos fora do prazo de validade, podem não fazer efeito e causar resistência;

– Tomar sempre com água;

–  Ajuste o horário de acordo com sua rotina e sempre obedeça o espaço que foi recomendado entre uma dose e outra.

Interações com alimentos:

Amoxicilina: a presença de alimentos diminui o efeito do fármaco. Recomenda-se tomar o fármaco em horários distantes das refeições.

Amoxicilina + Clavulanato de Potássio: para diminuir o desconforto gastrintestinal, tomar os comprimidos próximos das refeições.

Cefalexina: a presença de alimentos não interfere no efeito do fármaco, pode-se tomar sem considerar a alimentação.

Ciprofloxacino e Norfloxacino: devem ser tomados longe da ingesta de leite e derivados, pois diminuem o efeito do medicamento.

Levofloxacino: a presença de alimentos não interfere no efeito do fármaco, pode-se tomar sem considerar a alimentação.

Metronidazol: este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

Sulfametoxazol + Trimetropina: devem ser tomados após uma refeição e com quantidade suficiente de líquido.

Orientações farmacêuticas sobre anti-hipertensivos

O que são anti-hipertensivos?

Os Anti-hipertensivos são uma classe de fármacos utilizados no tratamento da hipertensão. A atuação dos medicamentos na pressão arterial ocorre por seus efeitos sob a resistência periférica e/ou débito cardíaco. A pressão arterial elevada é um problema de saúde pública. Pode levar a acidente vascular cerebral (AVC), infarto, morte súbita e doença renal crônica (DRC). Hipertensão é classificada como a pressão arterial maior ou igual a 140/90.

Informações importantes:

 – Não use anti-hipertensivos por conta própria;

– Use a dose que for prescrita e nos horários corretos;

– Tomar sempre com água;

– Monitorar pressão arterial.

Interações com alimentos:

Furosemida: Administrar com alimentos ou leite, a fim de reduzir sintomas gastrointestinais, tomar preferencialmente pela manhã.

Hidroclorotiazida: A presença de alimentos pode reduzir os níveis plasmáticos do medicamento, tomar preferencialmente pela manhã.

Espironolactona: Administrar com a presença de alimentos, para diminuir irritação gastrointestinal e melhorar a absorção do medicamento.

Atenolol: Evitar administrar perto das refeições pois pode reduzir os efeitos do anti-hipertensivo.

Carvedilol: Pode ser administrado com alimentos, pois minimiza os efeitos de hipotensão ortostática (postural).

Captopril: Administrar em jejum, 1 hora antes ou 2 horas após os alimentos.

Enalapril: Pode ser administrado durante ou entre as refeições.

Anlodipidino: Pode ser administrado com ou sem a presença de alimentos.

Orientação farmacêutica sobre anticoagulantes

O que são anticoagulantes?

Os anticoagulantes são usados para prevenir a formação de trombos sanguíneos. A coagulação é uma reação natural do organismo para estancar sangramentos. Porém, alguns fatores como colesterol elevado, cirurgias, hospitalizações prolongadas, obesidade, idade mais avançada, predisposição genética, uso de anticoncepcionais, imobilidade prolongada, lesões nos vasos e desequilíbrio dos fatores de coagulação aumentam o risco de formação de trombos / desenvolver trombose.

O desprendimento do coágulo pode provocar complicações a curto ou longo prazo. O trombo pode se deslocar até o pulmão (embolia pulmonar) ou cérebro (AVC), por exemplo, obstruindo uma artéria e, conforme o tamanho do coágulo e a extensão da área comprometida, esse episódio pode ser mortal. Para tanto, pode-se contar com os medicamentos anticoagulantes e os fibrinolíticos que ajudam a dissolver os trombos. 

Anticoagulantes mais utilizados:

Injetáveis: Heparina, Enoxaparina

Orais: Varfarina, Rivaroxabana (Xarelto), Dabigatrana (Pradaxa); Apixabana (Eliquis), Lixiana (Edoxabana)

Áreas para aplicação dos anticoagulantes injetáveis:

Os melhores locais para administrar uma injeção subcutânea são aqueles onde existe maior acúmulo de gordura. Assim, os que geralmente são mais utilizados incluem: abdômen (fazer a injeção com uma distância superior a 1cm do umbigo), braço e coxas.

Informações importantes:

  • Não use anticoagulante por conta própria; 
  • Use roupas e calçados folgados e confortáveis; 
  • Use meias elásticas;

– Aproveite todos os pretextos para mudar de posição ou movimentar-se durante as viagens;

 – Faça exercícios de rotação, flexão e extensão com as pernas e os pés enquanto estiver viajando;

– O consumo excessivo de álcool, o tabagismo e a presença de obesidade podem aumentar o risco de eventos tromboembólicos

– Prestar atenção a sinais de sangramento, como excesso de manchas na pele, sangramento de gengivas, sangue na urina ou nas fezes e, em caso de presença de algum deles, procurar um médico;

– Dar preferência ao uso de escovas de dentes macias;

 – Evitar consumo de alimentos ricos em vitamina K, como os vegetais verde-escuros e folhosos (espinafre, couve, alface, além de repolho, brócolis e couve-flor, por exemplo), pois reduzem a ação de certos anticoagulantes, como a varfarina.

– O tratamento não deve ser interrompido abruptamente. As doses devem ser diminuídas de forma lenta e gradual.

Orientações farmacêuticas sobre dislipidemia

O que é dislipidemia?

A dislipidemia é caracterizada pelos níveis elevados de lipídios, ou seja, gordura no sangue. Quando estes níveis ficam elevados, é possível que placas de gordura se formem e se acumulem nas artérias, o que pode levar à obstrução parcial ou total do fluxo sanguíneo que chega ao coração e ao cérebro. 

As alterações do perfil lipídico podem incluir colesterol total alto, triglicerídeos (TG) alto, colesterol de lipoproteína de alta densidade baixo (HDL) (“bom colesterol”) e níveis elevados de colesterol de lipoproteína de baixa densidade (LDL) (“mau colesterol”).

Fármacos mais utilizados:

  • Sinvastatina;
  • Rosuvastatina;
  • Atorvastatina;
  •  Ciprofibrato;
  • Ezetimiba

Informações Importantes:

– Reduza o consumo de alimentos de origem animal, como carnes e queijos amarelos;

– Evite comer frituras;

– Evite alimentos açucarados ou açúcar refinado;

– Evite pratos prontos;

– Evite consumo de bebidas alcoólicas;

– Coma cereais integrais, vegetais, frutas e alimentos com fibras regularmente;

– Pratique exercícios físicos regularmente;

– Não fume.

Orientações farmacêuticas sobre insulinas

Indicação:

Tratamento do diabetes mellitus (DM). A insulina é um hormônio que ajuda a glicose a chegar aos músculos, onde é usada para gerar energia.

Quais os locais adequados para aplicação da Insulina?

– Abdômem (barriga);

– Coxa (frente e lateral externa);

– Braço (parte posterior do terço superior);

– Glúteo (parte superior e lateral das nádegas).

Aplicação da Insulina:

A insulina deve ser aplicada diretamente na camada de gordura abaixo da pele (tecido subcutâneo) e a agulha deve penetrar na pele em ângulo de 90 graus. A pele e a gordura abaixo dela devem ser dobradas entre os dedos, formando uma prega ou dobra, evitando que a agulha atinja os músculos.

Informações Importantes:

– Não armazenar a insulina na porta da geladeira devido às oscilações de temperatura.

– Frascos de insulina podem ser mantidos em temperatura ambiente (em local fresco e seco) mas só podem ser utilizados em, no máximo, 30 dias. Depois disso perdem capacidade de ação

– A insulina NÃO PODE ficar exposta à luz direta do sol nem em temperaturas abaixo de 2°C ou acima de 30°C.

– A presença de grumos, cristais ou agregados indica que a insulina está inadequada para consumo. Descarte!

– Durante uma viagem é importante manter a temperatura da insulina. Você pode usar uma caixa de isopor ou refrigerador portátil, mas não deixe a insulina congelar nem ficar em contato direto com gelo.

–  Nunca use seringa ou agulha utilizada por outra pessoa.

Skip to content